• Motoaction

Honda CB 1000 R Neon Sports Café


A renovada e reestilizada CB 1000R mistura retrô com modernidade, oferecendo parte da tecnologia que podemos introduzir em uma motocicleta naked. Ela também se destaca pelo visual robusto e imponente, levando a uma nova direção ou tendência através de uma série de atualizações e conceitos.

Unir o clássico com o moderno é uma tendência do mundo moderno, mas podemos dizer que o visual da nova CB 1000R é ousado. Os projetistas conseguiram os sinais do passado com o farol arredondado, o tanque de combustível sem emendas e a traseira sem rabeta, lembrando os famosos e históricos modelos Café Racer. Tudo com muita esportividade. Outro destaque na aparência é o uso do metal em algumas peças, novamente em busca do clássico, já que o mundo moderno tende a introduzir muitas peças de plástico. Acabamento metálico é encontrado na tampa da caixa de ar e nas capas do radiador, em alumínio escovado.

Além de se incluir na categoria clássico/moderno, a nova CB 1000R lembra uma naked streefighter. Tecnologia não falta ao modelo, a começar pelo poderoso propulsor, o mesmo da superesportiva Fireblade, mas com algumas mudanças para torná-lo mais suave. Mesmo assim, o motor de quatro cilindros, de 998 cc, com refrigeração líquida, gera potência máxima de 141,4 cv a 10.500 rpm (16,3 cv a mais do que a versão anterior) e torque de 10,2 kgfm a 8.000 rpm.

Possui acelerador eletrônico e injeção PGM-FI com quatro corpos de borboleta equivalentes a 44 mm de diâmetro (os anteriores tinham 36 mm), embreagem deslizante, sistema de escapamento 4x2, com quatro catalizadores (silencioso com duas saídas), e câmbio de seis marchas.

Destaque também para os controles eletrônicos, como controle de tração (HSTC), controle do freio motor (EB) e para os quatro modos de pilotagem – Standard, Sport, Rain e User (personalizável) –, selecionados em comando no punho esquerdo. O modo de pilotagem auta com os demais sistemas e intefere na potência do motor: no Standard, potência, EB e HSTC são médios; no Sport, a potência é total e HSTC e EB têm baixa intervenção; e no Rain, a potência é menor, a intervenção do HSTC é alta e a do EB, média. No total, há quatro regulagens do controle de tração e três para o freio motor e potência. Vale ressaltar que o controle de tração pode ser desativado no modo User e que pode o modo de pilotagem pode ser mudado em movimento.

O painel é totalmente digital e apresenta as principais informações, inclusive horas, modo de pilotagem, média de consumo, nível do combustível, indicador de marcha engatada e indicador ECO, de pilotagem econômica. Outro dispositivo é a shift light, luz que indica que é o momento de trocar a marcha, para uma superior, localizada no canto superior do painel. No canto direito há uma aba que altera a cor, conforme marcha, rotação e moto de pilotagem. Outra novidade é a iluminação Full LED, com o sistema DRL (Daytime Running Light ou iluminação diurna); e o ESS (Energy Stop Signal), que aciona automaticamente o pisca-alerta ao realizar uma frenagem brusca. O sistema é desligado quando o piloto solta o freio.

O chassi do tipo diamante (monoespinhal) não é construído com alumínio, e sim com tubos de aço, com o motor fazendo parte da estrutura. O braço oscilante é único (monobraço), em alumínio. A CB recebe garfo telescópico invertido da marca Showa, do tipo SFF-BP (Separate Function Front Fork – Big Piston), onde as funções de compressão e retorno estão localizadas no lado esquerdo e a mola, no lado direito. As bengalas possuem de 43 mm de diâmetro.

Para parar essa motocicleta veloz, o sistema de freios apresenta dois discos flutuantes de 310 mm de diâmetro com pinças de quatro pistões na frente e disco de 256 mm diâmetro com pinça de dois pistões atrás. Ambas as extremidades possuem ABS.

A Honda disponibilza essa novidade na cor vermelho metálico e preto perolizado. O preço público sugerido é 60.900 reais (base Estado de São Paulo), com garantia de três anos sem limite de quilometragem e também o Honda Assistance, serviço de assistência 24 horas no Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

COMPORTAMENTO - O posicionamento é esportivo, com pequena inclinação do tronco sobre o guidão (12 mm mais largo e 13 mm mais alto) e os pés apoiados em pedaleiras altas e um pouco afastadas. Ela é confortável e você tem total domínio da motocicleta. A CB apresentou comportamento estável, confiável e seguro. Leve e compacta, ela é ágil e fácil de pilotar, passa até a impressão de estarmos conduzindo uma motocicleta menor. Para pouco mais de uma centena de quilômetros, o assento é confortável. Também é boa a visualização das informações no painel de instrumentos, que exibe as informações necessárias para a condução.


A força do motor de quatro cilindros em linha é notada logo ao dar a partida, momento exato em que você se apaixona por ele. A CB 1000R segue o padrão Honda, uma combinação perfeita de desempenho e segurança. O modelo é rápido, mas não o suficiente para intimidar, isto é, é veloz mas com controle total. Passa a impressão de ser dócil demais, mas não se engane. Esta CB segue a tradição da Honda, de construir motocicletas modernas, rápidas e arrojadas, mas muito equilibradas.

Você sabe que tem embaixo das pernas um motor derivado da poderosa superesportiva Fireblade, mas os cavalos são entregues de forma linear e progressiva em todos os modos de pilotagem – mesmo no modo Sport, quando as respostas são rápidas, mais abruptas, mas ainda controlável. Trata-se de um motor poderoso, um propulsor de mil cilindradas que deve ser respeitado, mas o seu comportamento vai atender tanto os pilotos menos experientes como também os mais arrojados.

Mudar de direção com esta motocicleta é uma tarefa fácil e sua maneabilidade impressiona. Claro, trata-se de uma Honda, que sabemos ter a tradição de oferecer motocicletas ágeis. As suspensões são equilibradas, eficientes e firmes, deixando o conjunto bem estável e tornando a pilotagem mais previsível e segura. Os freios também impressionaram, com frenagens sempre eficientes e transmitindo também muita segurança, mesmo no piso molhado.

Trata-se de uma motocicleta bonita e com desempenho padrão Honda. Ela é fácil de pilotar e é divertida. É uma motocicleta que você pode encarar o uso diário, para o trabalho, escola ou faculdade, com muita propriedade. E também realizar passeios marcantes, afinal de contas ela combina conforto e desempenho, tornando-se uma opção tanto para pilotos experientes como iniciantes. Novamente a Honda construiu uma motocicleta fantástica. Você certamente irá se surpreender com ela!

ESPECIFICAÇÕES

Motor: quatro cilindros em linha, 16V, DOHC, refrigeração líquida

Cilindrada: 998,4cc

Alimentação: injeção eletrônica PGM-FI

Transmissão: 6 velocidades

Chassi: tipo diamante

Distância do assento: 830 mm

Suspensão dianteira: Showa SFF-BP, 120 mm de curso, totalmente ajustável

Suspensão traseira: Showa BFRC, 131 mm de curso, ajuste de retorno e pré-carga

Freio dianteiro: disco duplo, 310 mm de diâmetro, pinças c/ 4 pistões, ABS

Freio traseiro: disco, 256 mm de diâmetro, pinça com pistão único, ABS

Potência: 141,4 cv a 10.500 rpm

Torque: 10,2 kgfm a 8.000 rpm

Tanque: 16,1 L

Peso (seco): 199 kg