• Motoaction

Kawasaki Z650 2021 - Teste


Ao depará-la com a Z650 pela primeira vez, chama a atenção como ela é compacta. E também as linhas modernas e musculosas, mas nada em excesso. Destaque também o novo chassi exposto e design mais estreito, braço oscilante asa de gaivota. O assento ganhou estofamento mais espesso (5 mm no centro e 10 mm nas laterais) e confortável, melhor suporte para o garupa e maior área de apoio lombar para o piloto. O assento está a 790 mm do solo. O tanque de combustível, apresenta desenho estreito e proporciona bom encaixe das pernas, permitindo ótima movimentação na motocicleta.



O motor é um bicilíndrico de 650 cc, com duplo comando de válvulas no cabeçote, refrigeração líquida e injeção eletrônica, que entrega potência máxima de 68 cv a 8 mil rpm e torque de 6,7 kgfm a 6.500 rpm. A embreagem é assistida e deslizante e o câmbio tem seis velocidades. O sistema de escapamento atende à Euro4.


O sistema de suspensão é formado por garfo invertido com 125 mm de curso e amortecedor traseiro ajustável em pré-carga da mola, que gera 130 mm de curso. Já o sistema de freios é composto por disco duplo de 300 mm de diâmetro na dianteira e disco traseiro de 220 mm, ambas as extremidades com ABS. A manete do freio – assim como o da embreagem – é ajustável em cinco posições.


As rodas de 17 polegadas são calçadas com pneus Dunlop Sportmax Roadsport 2, nas medidas 120x70 (diant.) e 160x60 (tras.).

O painel de instrumentos é novo e oferece conexão Bluetooth. Possui tela TFT de 4.3 polegadas, com opção para duas cores de fundo (branca e preta) e quatro níveis de luminosidade, e apresenta velocímetro e conta-giros digitais, indicador de marcha engatada, shift light (a barra de RPM muda de cor até ficar toda laranja e, ao atingir as rotações indicadas pelo usuário, começa a piscar indicando o momento da troca de marcha), nível de combustível, hodômetro total e dois parciais, consumo de combustível instantâneo, velocidade média, relógio, temperatura do líquido do radiador, voltagem da bateria, indicador ECO e outros.


A conexão com o smartphone ocorre através do Rideology The App.

No painel de instrumentos você tem a notificação de e-mail e de chamadas do smartphone. E através do aplicativo, você também pode rever no mapa a velocidade, RPM e marcha, de acordo com o ponto do percurso, tudo em um gráfico de fácil leitura. Além disso, é possível conferir os dados de aceleração, frenagem e até mesmo da força G. Rideology The App veio para ficar, tem potencial para alcançar novos padrões e entendemos ser um bom diferencial.

EM AÇÃO - O visual é agressivo, com a frente robusta. É bonita e moderna, sem parecer muito futurístico. Ao sentar na motocicleta, tudo parece familiar, com posicionamento confortável e tudo ao alcance dos seus dedos. O ronco do motor bicilíndrico é característico, um pouco encorpado, fazendo-se presente o tempo todo.


Nada de se ambientar ou adaptar. Basta se equipar, baixar a viseira e acelerar. A motocicleta é muito fácil de andar, em qualquer ambiente, desde no trânsito mais intenso ou manobras em baixa velocidade. A sensação é que a Z650 é leve, ágil e também estável.

O motor de dois cilindros correspondeu à expectativa, ou seja, trata-se de uma 650 cc atual, com suas curvas de torque e potência privilegiando o prazer de passear ou se locomover com tranquilidade e conforto na estrada ou cidade. Não falta torque para arrancadas mais vigorosas ou retomadas e ultrapassagens, mas as respostas são suaves, empurrando de forma constante e sem sustos. O motor não é tão elástico e, portanto, numa tocada mais esportiva, vai exigir mais técnica e trocas de marcha. Não há vibração incômoda. Inicialmente, chamou a atenção também o freio motor, às vezes parecendo muito forte. As trocas de marcha são feitas de forma suave e ainda precisas. E a embreagem tem boa modularidade, de forma natural.

As suspensões foram muito eficientes no percurso do teste, bem equilibradas, sempre progressivas e previsíveis, porém não podemos negar que não foram exigidas ao extremo, assim como privilegiam o conforto, seguindo o projeto fim da motocicleta. Os freios são potentes e param bem os 193 quilos anunciados. O ABS é mais sensível no pedal, mas a frenagem segue progressiva, como deve ser. Principalmente a manete, sentimos boa precisão e modularidade, sem a necessidade de muita força nas freadas mais exigentes.

As principais informações no painel são de fácil leitura. Nosso teste foi rápido, infelizmente, e não pudemos testar os modelos com garupa ou fazer uma média consistente do consumo, que a Kawasaki afirma ser "baixo".

O preço público sugerido (sem frete) da Z650 é R$ 37.490, nas cores Metallic Spark Black/Metallic Flat Spark Black, e R$ 37.990, nas cores Candy Lime Green/Metallic Spark Black.

A Kawasaki Z650 é ideal para quem está chegando na categoria das médias cilindradas ou para quem pretende usar a motocicleta nas cidades, no trânsito urbano diário, ou viajar com conforto e segurança nos finais de semana. Apresenta design moderno, compacto e esportivo e se destaca também pela facilidade de pilotar, agilidade e bom desempenho de todo o conjunto. Basta olhar para ela para despertar aquela vontade de curtir o prazer de tocar uma motocicleta.

ESPECIFICAÇÕES

Motor: bicilíndrico, 8V, DOHC, refrigeração líquida

Cilindrada: 649 cc

Alimentação: injeção eletrônica

Transmissão: 6 velocidades

Chassi: tipo diamante, em treliça, tubos em aço

Altura do assento: 790 mm

Suspensão dianteira: telescópica, 41 mm de diâmetro, 125 mm de curso

Suspensão traseira: amortecedor, Back Link, 130 mm de curso, ajuste de pré-carga da mola

Freio dianteiro: disco duplo, 300 mm de diâmetro, pinças c/ 2 pistões, ABS

Freio traseiro: disco, 220 mm de diâmetro, pinça c/ pistão único, ABS

Potência: 68 cv a 8.000 rpm

Torque: 6,7 kgfm a 6.500 rpm

Tanque: 15 L

Peso (total): 193 kg