• Motoaction

Triumph Rocket 3 R - Road Test


Fotos Idário Café

O mundo das duas rodas contemporâneo oferece motocicletas incríveis e únicas, com as fábricas construindo modelos impressionantes, tanto no design como no desempenho. A tecnologia moderna possibilita, praticamente, o total controle, com muita eletrônica, materiais especiais e grande funcionabilidade permitindo que pilotos de níveis distintos possam acelerar praticamente qualquer motocicleta, seja ela esportiva, big trail, custom etc. A lista de opções se tornou extensa e escolher o modelo dos sonhos fica cada vez mais difícil.


Algumas marcas, porém, buscam oferecer modelos exclusivos, para poucos consumidores, em parte pelos itens selecionados no pacote ou mesmo o preço. Determinar uma categoria para algumas motocicletas pode ser difícil também. Apesar da busca por motocicletas compactas, leves e rápidas, alguns modelos são robustos e pesados, mas chamam a atenção dos amantes pela agressividade no comportamento e/ou visual. Como exemplo, podemos citar a Ducati Diavel, a Yamaha V-Max e a Triumph Rocket 3 R, que desembarcou no mercado nacional e, segundo a própria fábrica, tornou-se um sucesso, com as vendas acima das expectativas, tanto que ela já anunciou um segundo lote.


O modelo da marca britânica foi apresentado ao público brasileiro no Salão Duas Rodas de 2019, mas somente após pouco mais de um ano foi disponibilizado no mercado nacional. Os primeiros lotes chegaram em 2020, com o preço público sugerido de 110.490 reais.


Vale lembrar que o modelo foi lançado em 2004, sempre com destaque para o seu poderoso motor. Já a nova versão apresenta o maior motor de uma motocicleta produzida em série no planeta. Com 2.500 cc, ele gera 167 cavalos de potência (a 6 mil rpm), com mais potência de 3.500 até o limite de 7.000 rpm, e incríveis 22,5 kgfm de torque (a 4.000 rpm), cerca de 71% a mais de torque do que a concorrência mais próxima, segundo a Triumph.



O novo propulsor apresenta novo conjunto do cárter, novo sistema de lubrificação, tanque de óleo integral e novos eixos balanceadores – que juntos proporcionaram 18 kg de economia no peso do motor em relação à geração anterior, uma contribuição para o incrível emagrecimento de 40 kg no total na motocicleta. Um exclusivo sistema de escape com três coletores foi desenvolvido de maneira inovadora para o roteamento perfeito dos gases, fluindo do coletor para a caixa combinada do catalisador e para o silenciador de saída tripla. Possui ainda nova embreagem hidráulica assistida, com funcionamento leve; nova caixa de engrenagens helicoidais de seis velocidades e alto desempenho, projetada especificamente para receber o maior torque desta nova geração, e para ser mais suave, mais forte e mais leve que uma caixa de engrenagens padrão; e acelerador Ride By Wire. A Triumph anuncia que a Rocket 3 R estabeleceu o novo recorde de aceleração de 0 a 100 km/h: apenas 2,73 segundos, um marco histórico que reforça ainda mais o excepcional desempenho do novo e exclusivo motor triplo de 2.500 cc.


Quanto ao visual, a imagem diz tudo, com design moderno, agressivo e musculoso. A iluminação é toda em LED, com duplo farol e DRL (iluminação diurna). O guidão estilo roadster é plano e largo, reforçando ainda mais o caráter premium do modelo e sua posição de pilotagem dominante. Ainda na frente, a segunda geração do painel de instrumentos TFT permite customização e ajuste de ângulo, para melhor visibilidade, e apresenta inúmeras informações, todas digitais. E a imponência é reforçada com um tanque de combustível esculpido com tira de aço inoxidável escovado e tampa de alumínio em estilo Monza, tampa da caixa de are óleo em alumínio escovado (estilo Monza), aletas usinadas e protetores térmicos escovados. O esquema de pintura disponível atualmente é Korosi Red.


Assento do piloto e garupa apresentam acabamentos em alumínio fundido, criando uma linha fluida exclusiva. A configuração de assento duplo para assento individual é facilmente alterada, segundo a marca, com a adição opcional de uma almofada de enchimento, que melhora ainda mais a aparência do assento individual, que apresenta baixa altura, 773 mm. Para o máximo conforto, os pedais podem ser ajustados na altura, em duas posições. Já os apoios dos pés do garupa são dobráveis e ficam camuflados.


O monobraço oscilante de um lado, com suspensão monochoque de compensação e acabamento de alto padrão na caixa de controle.O novo chassi de alumínio contribui para a economia geral de peso, que resulta numa relação torque/peso 25% maior que o competidor mais próximo, segundo a Triumph. Aliás, o peso (seco) anunciado é 291 quilos.



A suspensão é composta amortecedor da marca Showa, com reservatório piggyback, e é totalmente ajustável – em retorno, compressão e pré-carga da mola, este com ajuste hidráulico; e garfo dianteiro também da Showa, de 47 mm de diâmetro e ajustável em retorno e compressão.


Nos freios encontramos dois discos dianteiros de 320 mm de diâmetro com pinças Brembo Stylema, a mais alta especificação, e disco traseiro de 300 mm de diâmetro também com pinça monobloco da mesma marca e com quatro pistões. Ambas as extremidades apresentam ABS otimizado para curvas.


Rodas leves de alumínio fundido de múltiplos raios, com belo acabamento escurecido, ganham pneus Avon Cobra Chrome, desenvolvidos especialmente para a nova Rocket 3 R, nas medidas 150/80-17 na frente e 240/50-16 atrás. Os novos pneus têm detalhes requintados e apresentam um novo padrão de faixa, desenvolvido para maior aderência e alta durabilidade.

Ainda não falamos de todos os recursos eletrônicos. A Rocket 3 R possui Unidade de Medição Inercial (IMU), respondendo com os recursos de segurança ativos apropriados, o que inclui o controle de tração otimizado para curvas. Há também quatro modos de pilotagem – Road, Rain, Sport e Rider, este configurável –; o recurso Hill Hold, que evita que a motocicleta vá para trás numa subida, aplicando o freio traseiro até sentir que o piloto está começando a acelerar e ativado usando o manete do freio dianteiro. Tal recurso é selecionável através do menu de configuração da motocicleta e é item de série.


Falando em item de série, podemos incluir na relação: controle de velocidade eletrônico (velocidade cruzeiro), ignição sem chave e trava de direção (sistema de proximidade), manoplas aquecidas e tomada USB de 5V sob o assento. Opcionais são o auxílio de troca de marcha (shift assist) tanto para cima como para baixo e o módulo de conectividade Bluetooth, que permite o controle da GoPro no painel e uso do sistema de navegação (Google), que vale a pena uma pequena explanação. Depois que o piloto seleciona a rota no aplicativo My Triumph (iOS e Android), ícones gráficos simples são ativados na tela e o piloto tem à sua disposição um sistema de navegação, um planejador de rotas e pontos de interesse, como hotéis, postos de gasolina e restaurantes. Ainda com o Bluetooth, você fica totalmente integrado ao telefone, com exibições claras no painel e operação intuitiva, permitindo selecionar músicas, controlar o volume e até atender chamadas.


Agora chegou o momento mais esperado, ou seja, de acelerar a motocicleta.


COMPORTAMENTO - Sinceramente, quando ligaram nos convidando para testar a nova Rocket 3 R, fiquei meio apreensivo, afinal de contas, imaginei que ela era bem pesada e um pouco difícil de pilotar. Ao mesmo tempo, fiquei entusiasmado, pois não é sempre que se pode acelerar uma motocicleta dessa, feita para poucos. Ao ver a motocicleta, de cara você fica intimidado com o seu visual robusto e agressivo e aquele enorme motor, que deixa qualquer um meio receoso.



Mas basta sentar na motocicleta para perceber que não é bem assim. Sim, o grande tanque de combustível impressiona, mas você se encaixa perfeitamente. Ela é até compacta, parecendo existir somente o motor. O guidão quase reto e largo e as pedaleiras um pouco recuadas tornam o posicionamento um pouco inclinado, mas confortável. A baixa altura do banco também permite maior controle. A chave de presença aumenta o conforto, e a partida é dada no botão do punho direito. É fácil ver as informações no painel e navegar pelos seus recursos é prático e simples.

Já nas primeiras voltas, toda a apreensão, toda aquela dúvida, vai água abaixo. Atrás daquela estrutura robusta esconde-se um comportamento. A motocicleta não é lenta, e quando se torce o cabo, a potência se apresenta com vontade, você é empurrado para trás, a velocidade vai subindo assustadoramente e logo já está perto dos 200 km/h. Mas parece que está a uns 100 km/h. Portanto, é preciso ter cautela e responsabilidade para pilotar esse monstro do asfalto, pois tudo acontece muito rápido e em num curto espaço.



Com torque abundante, andar na boa não é problema, pois aceita rotações baixas com muito controle. Você pode andar devagar tranquilamente, e quando decidir sentir a força do poderoso motor, ela não vai decepcioná-lo. No trânsito pesado da metrópole de São Paulo, o calor do motor foi sentido nas pernas depois de alguns quilômetros.

Apesar da sua robustez e peso, a Rocket 3 R é ágil e fácil de pilotar. Surpreendeu a rapidez nas mudanças de direção. Meus braços ficaram esticados, mas continuei no controle da motocicleta. Existe um equilíbrio entre conforto e controle. É possível realizar manobras em espaços curtos e em baixa velocidade com muita facilidade. Senti-me muito à vontade.


Seguindo nas curvas, mas aumentando a velocidade, elas são realizadas com muita propriedade e eficiência. Os pneus largos e altos permitem realizar curvas com tranquilidade, e as pedaleiras não raspam no asfalto. O comportamento surpreende e a pilotagem permanece fácil, sem sustos ou surpresas.


Sobra torque e potência, e contribui para uma condução sem esforço e previsível a sua ciclística ágil para uma motocicleta de grande porte. A pilotagem é empolgante e divertida. Não é preciso trocas frequentes de marcha – que requerem um pouco de força, mas rapidamente se acostumar com o seu funcionamento – e as faixas úteis nas curvas de torque e potência estão bem posicionadas, gerando conforto e boas arrancadas e ultrapassagens tranquilas. Dificilmente você vai chegar ao limite das rotações.



As suspensões funcionam bem, mas em alguns trechos, como grandes lombadas ou valetas e nas imperfeições profundas do asfalto, você precisa ficar mais atento, pois pode dar fim de curso. Porém, entendemos que ela não foi construída para pisos muito imperfeitos. Apesar do banco e pedaleiras para garupa, ela está mais para uma pilotagem solo, pelo menos no meu entendimento. Já os freios são funcionais para um modelo com mais de 361 quilos e que segue rápido. Não é exigido muito esforço nos comandos e o ABS é eficiente, com intervenção quase imperceptível.


Uma coisa é certa: você vai fazer sucesso por onde passar. Parou no farol ou estacionou, alguém vai lhe indagar sobre a motocicleta. Ela realmente chama a atenção. Alguns acreditam que trata-se de uma motocicleta customizada e muitos ficam impressionados com a sua cilindrada e potência.


NAS MÃOS DO CHEF - O Chef Henrique Fogaça, embaixador da Triumph no Brasil já pôde apreciar todas as qualidades da Rocket 3 R. Em janeiro de 2017, a Triumph anunciou uma parceria com o chef proprietário de vários restaurantes e bares e um dos jurados do programa MasterChef, da Band, que passou Embaixador da Triumph no Brasil. A parceria se consolidou e Fogaça aprendeu a admirar ainda mais os produtos da Triumph, ao mesmo tempo que vem contribuindo fortemente para levar a marca inglesa a novos públicos.


"Eu sempre tive moto, e a gente chega em um patamar que não tem mais para onde ir. E esse patamar se chama Triumph. O que mais me chamou a atenção na Rocket 3 R foi justamente essa pegada mais bruta dela. Quem me conhece, sabe que eu sou assim. Direto, objetivo, alguns dizem até bruto, e vejo isso na Rocket. Ela tem esse design minimalista e a força que nenhuma outra moto tem. Olhando ela, até parece pesada, mas na verdade é bem fácil de pilotar. A moto está inserida na minha vida em 95% do tempo. Quase tudo o que eu faço é de moto. Vou para a Band, vou de moto. Para os restaurantes, vou de moto. Para a academia, vou de moto. Também faço pequenas viagens com minhas motos. E, para onde eu vou, escolho a moto mais adequada”, explica Fogaça.


Henrique Fogaça - Foto Triumph

ESPECIFICAÇÕES

Motor: tricilíndrico, DOHC, refrigeração líquida

Cilindrada 2.458 cc

Alimentação: injeção eletrônica

Transmissão: 6 velocidades, eixo cardã

Chassi: em alumínio

Suspensão dianteira: Showa, invertida, 47 mm de diâmetro, 120 mm de curso, ajuste de compressão e retorno

Suspensão traseira: monoamortecedor Showa, 107 mm de curso, totalmente ajustável

Freio dianteiro: disco duplo, 320 mm de diâmetro, pinças c/ 4 pistões, ABS de curva

Freio traseiro: disco, 300 mm de diâmetro, pinça c/ 4 pistões, ABS de curva

Potência: 167 cv a 6.000 rpm

Torque: 22,5 kgfm a 4.000 rpm

Tanque: 18 L

Peso (seco): 291 kg
















Posts recentes

Ver tudo