• Motoaction

Triumph Tiger 900 GT Pro - Teste


Fotos Idário Café

O mundo da aventura! Qualquer pessoa comum com certeza busca em sua vida uma grande aventura, aquela viagem que ficará marcada para sempre. Pois para os amantes do motociclismo, essa viagem pode acontecer pilotando uma motocicleta. Os modelos mais indicados para uma grande aventura em duas rodas são as big trail, preparadas para encarar qualquer desafio. Versáteis e valentes, essas motocicletas conquistaram o planeta, e no Brasil não foi diferente. Duas marcas europeias se tornaram referência no assunto, a alemã BMW e a britânica Triumph, sem esquecer que as demais decidiram entrar de cabeça nessa disputa e hoje praticamente todas elas oferecem modelos competitivos.

No Brasil, todos sabem que a Tiger 800 foi líder de vendas durante anos, aliás, somos os maiores consumidores desse modelo no mundo. Para permanecer nessa posição, a Triumph lançou uma nova motocicleta, a Tiger 900, que foi apresentada recentemente numa live em meados de junho.

"Estamos muito animados com esse lançamento, que vinha sendo um dos mais aguardados dos últimos tempos, sobretudo no mercado nacional. O Brasil é o maior consumidor da linha Tiger 800 no mundo, entre todas as nossas subsidiárias”, explicou Renato Fabrini, general manager da Triumph.

A linha Tiger tem uma longa história no motociclismo mundial. Ela atrai motociclistas que gostam de aventura, que aspiram viver aventuras. Claro que muitos modelos podem trazer coisas que amamos, mas é difícil que tudo num modelo agrade a maioria dos amantes. As fábricas trabalham intensamente para reduzir qualquer desgosto, mas no caso de uma motocicleta versátil, que pode ser utilizada praticamente em qualquer terreno, esse trabalho é mais árduo, pois a performance tem de agradar em duas situações totalmente diferentes.

Para manter o DNA de verdadeira aventureira, a Triumph não mediu esforços na nova Tiger 900, que chega para estabelecer uma nova referência na categoria, segundo a marca. Duas versões chegaram inicialmente às concessionárias, a Tiger 900 GT Pro e a Rally Pro, com preços promocionais para o primeiro lote de lançamento da linha. A primeira é mais direcionada para aventuras mais urbanas e viagens de longa distância com foco no on-road, enquanto a Rally Pro foi desenvolvida para o máximo em aventuras off-road. A Triumph divulgou recentemente que o lançamento foi um sucesso e que esse lote se esgotou. No entanto, um próximo lote da Tiger 900 chegaria às concessionárias no início de agosto e logo deverão chegar às lojas outras versões da linha: standard (Tiger 900), GT, GT low e Rally, com preço público sugerido (PPS) a partir de 48.990 reais. Enfim, testamos a versão GT Pro, cujo PPS é (a partir de) 59.990 reais.

Bem, tudo começa pelo motor, que segundo a Triumph apresenta nova ordem de ignição exclusiva nos três cilindros de 888 cc, quatro válvulas por cilindro, DOHC, oferecendo respostas mais rápidas, além de preservar o torque. A potência aumentou 10%, com pico de 95 cv a 8.750 rpm. O torque máximo é 8,87 kgfm a 7.250 rpm. Para melhorar a refrigeração, a nova Tiger apresenta dois radiadores, ambos com ventoinha, sendo que nova caixa de ar foi incluída, juntamente com novo filtro de ar, de acesso mais fácil. A fábrica informa ainda que o novo posicionamento do motor contribui para otimização do centro de gravidade, contribuindo na agilidade e equilíbrio em baixa velocidade. Possui câmbio de seis marchas e

e Shift Assist (quickshifter). A GT Pro apresenta controle de tração e cinco modos de pilotagem: Rain, Road, Sport, Off Road e um modo configurável pelo piloto – a versão Rally Pro tem ainda o modo Off Road Pro.


Outra mudança foi no chassi, com nova estrutura de aço mais leve e construção modular; o sub-quadro é em alumínio. Completa as novidades o sistema de suspensão da marca Marzocchi – Showa na Rally –, sendo que no modelo GT Pro a traseira apresenta ajuste eletrônico, possibilitando regulagem através de menu no painel de instrumentos. São nove os níveis de amortecimento. O sistema de freios tem a marca Brembo, com discos flutuantes de 320 mm de diâmetro e pinças (Stylema) de quatro pistões na dianteira e disco traseiro de 255 mm com pinça de pistão único.


Destaque também para o painel de instrumentos multifuncional TFT, com tela de 7 polegadas e quatro cores diferentes. Apresenta velocímetro e conta-giros digitais, computador de bordo, indicadores de posição de marcha, nível de combustível, modo de condução e manutenção, temperatura ambiente e relógio. Existe a tecnologia Bluetooth, que permite chamadas telefônicas, selecionar músicas no celular e controlar a câmera GoPro.


Para finalizar os detalhes da nova Tiger 900, toda a iluminação é em LED, e tem aquecimento nas manoplas e assentos, com controle do garupa separado, além de sistema de monitoramento de pressão dos pneus (TPMS). O assento teve a largura reduzida e possui mecanismo que altera em 20 mm a sua altura, o guidão está 10 mm mais próximo do piloto, o para-brisa é ajustável e o novo tanque de combustível tem capacidade para 20 litros.

A Triumph informa que a nova Tiger 900 oferece uma linha exclusiva de acessórios genuínos que já́ está disponível nas concessionárias. As opções incluem bagageiros de abertura lateral Trekker, com top box de capacete duplo de 52 litros, e bagageiros de abertura superior Expedition, com top box correspondente de 42 litros. Além disso, existem acessórios para maior conforto, proteção, capacidade, estilo e segurança – como encosto Trekker para o garupa, defletor de para-brisa, protetor de farol, protetores de garfo, protetores do radiador de alumínio e barras superiores do motor, entre outros recursos. 

COMPORTAMENTO - Quando você se depara com a Tiger 900, percebe que tudo é novo. A começar pela sua construção, ela é mais estreita, favorecendo o posicionamento e o controle da motocicleta. O tanque de combustível apresenta maior capacidade, de 20 litros, mas sua construção acomoda bem as pernas.


O motor está mais poderoso, com entrega suave da potência e ainda oferece bom torque, essencial no uso rural, em pisos de terra, lembrando que nesse caso você precisa mudar o modo para Off Road e desligar o controle de tração. Você realmente fica no controle da motocicleta, mesmo fora do asfalto, e vai perceber que não é necessário rotações excessivas para andar rápido. O torque e boa tração oferecidos minimizam a derrapagem inesperada durante grande parte na condução na terra, permitindo aproveitar melhor a aventura. Claro que no asfalto o controle de tração tem uma missão importante, lhe permitindo continuar acelerando todo o tempo e sentindo a força do motor. Enfim, seja no asfalto ou na terra, a potência é adequada e entregue de forma progressiva, sem susto.

Mas sabemos que uma boa motocicleta não é construída somente com um bom motor. A Tiger 900 trabalha bem no asfalto e na terra com um garfo ajustável e um amortecedor competente. As suspensões funcionam bem, mas claro que têm seus limites na terra, afinal de contas não se trata de uma motocicleta de competição, e sim de uma aventureira. Certamente você vai se divertir na terra com a nova Tiger.

O abuso na terra também é limitado pelas rodas de liga leve, já que as raiadas – encontradas nas versões Rally – seriam mais indicadas para esse piso, permitindo uma condução mais agressiva. Com a função de oferecer aventura na terra, e não performance absoluta, rodas e pneus (Pirelli) se mostraram funcionais. Vale pontuar que o modelo testado estava com o assento baixo, o que contribuiu no controle da motocicleta na terra.

Com design mais estreito e os novas suspensões, a Tiger 900 é leve e ágil, permitindo uma pilotagem muito prazerosa. Sistema de controle de tração e ABS otimizado para curvas permitem uma viagem mais estável, controlável e segura. O "piloto automático" (controle da velocidade de cruzeiro) aumenta o conforto e os modos de pilotagem e tornam a condução mais precisa e permitem que pilotos de níveis diferentes possam pilotar com segurança e muito prazer. Assim, os intermediários vão se divertir e se sentir seguros e os mais experientes podem ser mais agressivos na pilotagem.

O painel de instrumentos merece atenção. É moderno e bem funcional. Os comandos nos punhos do guidão permitem navegação mais intuitiva, fácil, e não será preciso estudar o manual ou ter um curso avançado. A conectividade (Bluetooth) com o smartphone é bem-vinda, permitindo chamadas telefônicas e visualizar quem está ligando. Você pode personalizar a tela e contar com muitas informações na sua viagem, já que quase tudo está a apenas um clique/toque. Gostamos também das duas tomadas, uma na caixa de direção, para o piloto, e outra abaixo do assento, para o garupa. Assim, ninguém vai brigar.

Aquecimento nas manoplas e assento contribuem para o conforto durante uma viagem nesta estação do ano. E por falar em aquecimento, mesmo com as mudanças na refrigeração, sente-se o calor do motor no trânsito pesado e lento. Então, você vai precisar se acostumar com essa situação, que já se tornou comum em muitas motocicletas.

Podemos dizer que a nova Tiger manteve todos os atributos da versão anterior, mas foram aprimorados o conforto e a capacidade. Tudo que foi alterado, como motorização e ergonomia, resultou em maior funcionalidade e performance, deixando esta motocicleta em condições de manter a posição de líder da categoria. A Tiger 900 realmente não perdeu sua alma. O motor impressiona, assim como a agilidade, as suspensões e os freios. Como disse, você pode até não gostar do comportamento de alguns itens, mas com certeza vai ter adrenalina suficiente para se emocionar na sua próxima aventura acelerando a nova Tiger 900. Então, meu amigo, esperamos que tenha grandes AVENTURAS!

ESPECIFICAÇÕES

Motor: tricilíndrico, 12 V, DOHC, refrigeração líquida

Cilindrada: 888 cc

Alimentação: injeção eletrônica 

Transmissão: 6 velocidades

Chassi: em aço tubular

Distância do assento: 810-830 mm

Suspensão dianteira: Marzocchi, invertida, 45 mm de diâmetro, 180 mm de curso, ajuste de compressão e retorno

Suspensão traseira: Marzocchi, 170 mm de curso, ajustado eletronicamente

Freio dianteiro: disco duplo, 320 mm de diâmetro, ABS de curva

Freio traseiro: disco, 225 mm de diâmetro, ABS de curva

Potência: 95,2 cv a 8.750 rpm

Torque: 8,87 kgfm a 7.250 rpm

Tanque: 20 L

Peso (seco): 198 kg